Saturday, 10 December 2011

Darin uncles and aunties


Luiz Darin, Corina Lopes and Vandyr, their little boy.

Rosa Darin and sister Yolanda [my future Mother] and Valdemar grinning at the background.


On a hot summer day's under the mango tree - in Marilia in the 1939 - from left to right: Valdemar Darin, Jeny Corsini, Kaneno - Kaneno again, Yolanda & Rosa Darin.


Rosa & Yolanda Darin sometime in the 1980s.


America Darin, myself and Rosa Darin in 1990. It was the last bit of negative I had in the camera... which is a shame because America died a little later. I used to love both aunties: tia America was as sweet as can be... and tia Rosa was really religious and hard-working.


Marianna Darin's only known photo


Marianna Da Rin Zoldan holding a grandchild or perhaps a great-grand-child.


Marianna Darin arrived in Brazil in 1888 with her older brother Giovanni Battista and a younger brother Francesco Apolonio. They came along with their father and mother who died less than 7 years later.

Marianna married an Italian man called Favero, in São José do Rio Pardo-SP and had a large family. Her brother Giovanni [who is my maternal grand-father] lived in the same area but moved on to Marilia-SP in 1927 taking his brother Francesco and his family along.

Francesco died in 1928 and Giovanni never saw his only sister again. Somehow I found this picture of Marianna's in my grand-father Giovanni's stuff after he died. Marianna must have sent it to him. They looked like a lot!




This is Adilson Darin, my uncle Octavio's oldest son. It was common to take snapshots of children playing with chooks in those times [early 40s].  Marilia-SP.





Francisco José de Almeida's birthday party



Beatriz holds Francisco José's hand to cut his cake. Father Chico looks on and smile. Rita de Cassia Batista search for something she's lost... and Herminia smiles sweetly.


a lot of young hopefuls vie for a photo oportunity at Francisco's birthday party. Zé Carlos Batista is the young fellow with a pompadour. Paulo Roberto Camargo is at Zé's left-side. Herminia Batista has a white bandana on her head & Mariângela Camargo is at her side... the only adult here is Geraldo Camargo with a cigarette in his mouth. 



Maria Darin Dutra is the lady in the foreground munching on a cake. That's the only photo I have of Maria Dutra. Francisco de Almeida Senior is holding a beer glass to the camera; Betty Scarpetti, Beatriz's sister, is the lady on the right-hand side foreground.  



Maria Redondo Batista holds Rita de Cassia in her arms while Chico Almeida and Beatriz Scarpetti Almeida look on.


Maria Redondo and her youngst daughter Rita de Cassia.


left to right: unknown girl, Mariângela Camargo and Hermínia Maria Batista, not too long after Francisco José's birthday bash.


Francisco de Almeida AKA Chiquinho in a photo someone posted at the Marilia Memorias group at Facebook. The text says: 'Acorda, Stella, vem à janela que a noite é bela'. 




João Baptista Darin Filho - Times & Life (uncle)

João Baptista Darin Filho was one of my Mother's brothers. He was actually child # 9 of 13 children. He inherited his father's Brazilian name Brazilian name. His father Giovanni Battista was blondish and his mother Erminia was darker. João Baptista took after his mother having a crop of black hair and swarthy looks. 

João Baptista married late in life just when everyone thought he would remain a bachelor for life. He married when he was 39 years old. 

He had worked at an operator at Cine São Luiz and Cine Marilia, As he liked to toy with cars and trucks he ended up becoming a mechanic.

Work Permit with photo taken in 31 October 1939
João started working as a mechanic at Fabrica de Cigarros Sudan S/A at Avenida 10 de Novembro, 859 in 1 March 1940. He earned 420 thousand reis monthly. 


João Baptista Darin Filho (right) with a fellow of his - Marilia-SP 1930s.


Rosa Darin & her brother João Baptista Darin in the early 30s.


Rosa Darin, her father Giovanni Battista Da Rin & her two brothers João & Valdemar disguised as fruit in the background.


João Darin some time in the early 1940s - Marilia-SP.




João Darin being playful at a Marilia bar-room.


João Darin seen on the double...

Thursday, 8 December 2011

Last train from Marilia


this was the last train to depart from Marilia's station - circa 1997.


This is all that's left from the once mighty train-yard in Marilia.


a typical wooden house built in the 1940s in Marilia-SP.


Marilia's abandoned train station in the late 1990s.


That's all that lasted from the former glory of the Cia. Paulista Railway... an iron sign saying Marilia-SP is 465 kilometres away from São Paulo-SP. 

Friday, 25 November 2011

Correio de Marília - 1958 - 1959 - 1960




Correio de Marília de 13 Agosto 1960, trazendo matéria sobre o funeral do Monsignor Luiz Bicudo.

C O R R E I O   D E   M A R Í  L I A  

1958 

20 NOVEMBRO 1958  -  Radio Dirceu de Marília, emissora da Cadeia Verde-amarela Rêde Piratininga. Começa programa “É disco... que eu gosto”, famoso em São Paulo apresentado por Henrique Lôbo.  
Conservatório Musical Santa Cecília – 1937 a 1958. 
12 DEZEMBRO 1958 – domingo – Cine São Luiz, 14 hs.:  “Cavalheiro sob medida”, com Cantinflas;  seriado: “Código secreto”.

1959
15 MARÇO 1959 – domingo – Está correspondendo o policiamento nos cinemas.  Embora não possamos afirmar que está 100% a luta da polícia contra os cafajestes que infestam os cinemas, especialmente o Cine Marília.

3 JUNHO 1959 – 4a. feira – Zuluaga, o ciclista Colombiano que tenta bater o record de permanencia em cima de uma bicicleta, pedalava as 2 horas da manhã na grande Avenida, ora cantando, ora assobiando, sob os olhares de 2 policiais.

4 JUNHO 1959 – 5a. feira – Celimo Montez Zuluaga perfazia 35 horas de prova, ontem à noite, sendo assistido por uma multidão.  O frio açoitava, e ele, as vezes usava um pano húmido para se enxugar.

Zuluaga recebendo troféu por sua maratona ciclista que eletrizou Marília. Aqui sendo entrevistado pelo reporter Wilson Matos, da Radio Clube de Marília.

9 AGOSTO 1959 – domingo – Entronização do Sagrado Coração de Jesus nas paróquias de Santo Antonio e São Miguel.

13 AGOSTO 1959 – 5a. feira – Zuluaga em sua nova prova em Ribeirão Prêto, pedalou 170 horas.  O Colombiano só tomava liquidos e frutas. Ao terminar, apresentava grande abatimento, tendo perdido 6 kg.

18 AGOSTO 1959 – 3a. feira – Amanhã no Salão Nobre do Colégio Sagrado Coração de Jesus, recital do pianista João Carlos Martins, de apenas 19 anos, já venceu concursos no Panamá e Washington.  Nasceu em 25 de Junho de 1940.

2 SETEMBRO 1959 – 4a. feira – Nota de primeira página sobre falecimento de João Baptista Darin, no dia 28 de agosto p.p.  Anúncio de Missa de  7o. dia, amanhã, 5a.feira, na Igreja Matriz de Santo Antonio, as 7 horas.

3 SETEMBRO 1959 – 5a. feira – Agradecimento ao Dr. Catalan, em nota na primeira pagina, pelo valioso atendimento dado ao velho Darin.

1o. NOVEMBRO 1959 – domingo – A marcha “Aqui Gerarda”, de Adoniran Barbosa & Ivan Moreno foi proibida em todo o território nacional, por ser de fundo imoral e efeito pernicioso e abusivo.

4 NOVEMBRO 1959 – 4a. feira – Os túmulos mais visitados no Dia de Finados foram os da Irmã Laura, Dr. Gelás, Padre Walfredo e da Pequena Iracema.  A Empresa Circular transportou 12.000 pessoas.

11 DEZEMBRO 1959 – 6a. feira – Ação da Polícia no Cine Marília, pôs fora da sala 20 indesejáveis.  Ação comandada pelo Delegado Dr. Paschoal Novaes Gaeta, e policiais investigadores.  Duas dezenas de mau elementos por vozerios e algazarras, ou práticas indecorosas [casaizinhos de namorados] foram postos na rua. Doravante não se dará tréguas aos cafajestes que perturbam a ordem nos cinemas da cidade.   Na mesma 1a. pagina, aparece artigo contra a Empresa Teatral Peduti – ETP – que mantém o monopólio de cinemas da cidade - que vai introduzir propaganda comercial antes dos filmes.  Emílio Peduti, um dos diretores é atacado por querer abocanhar parcela da verba de publicidade que vai para as radios e jornais de Marília.

18 DEZEMBRO 1959 – 6a. feira – Será ordenado o Diácono Nivaldo ResstelAto de Ordenação Sacerdotal  dia 19, Sábado, na Catedral de São Bento.  No Domingo, dia 20, as 10 horas, a Primeira Missa do Padre Nivaldo Resstel. 
 
Espetáculo de Hipnotismo pelo Professor Nerelli, no Auditórioda Associação dos Professores Primários, no Domingo, dia 20, às 20:30 horas.

1 9 6 0 

4 FEVEREIRO 1960 – quinta – Radio Vera Cruz de Marília passou para a Cadeia Verde Amarela -  Contrato com a  Radio Bandeirantes de São Paulo.

13 FEVEREIRO 1960 – sábado – Grito carnavalesco de 1960 na Associação dos Alfaiates.

18 FEVEREIRO 1960 – quinta – Iniciadas as aulas dos Cursos Primários referentes ao ano letivo de 1960.

19 FEVEREIRO 1960 – sexta – Agnaldo Rayol se apresenta amanhã no auditório da Radio Vera Cruz, as 17 hs e no Yara Clube as 20 horas. 

20 FEVEREIRO 1960 – sábado – Radio Vera Cruz apresenta as 13 hs o primeiro “Telefone pedindo bis”, apresentado por  Enzo de Almeida Passos, uma oferta da Cia. Gessy Industrial. 

17 MARÇO 1960 – quinta – Em Marília, uma pedra da catacumba de São Sebastião.  A pedra, vinda de Roma é levada para as obras da Igreja de São Sebastião.

20 MARÇO 1960 – domingo – Aparece cliché de Celly Campello na 1a. pagina, anunciando a vinda de Celly e Tony Campello em Marília, no dia 30 de Março. 

23 MARÇO 1960 – quarta – Tony Campello aparece em cliché na 1a. página, anunciando os planos para as atividades de recepção dos dois cartazes-revelação, trazidos pela Radio Dirceu.   Tendo em vista o entusiasmo que tal acontecimento vem provocando nos meios estudantis, houve por bem a firma patrocinadora, colocar à disposição dos fãs, onibus especiais, destinados ao transporte de todos aqueles que queiram recepcionar os dois cartazes-revelação, no Aeroporto.  Assim sendo, às 11 horas do dia 30, os coletivos partirão defronte as Casas Economicas, com passagens inteiramente gratuitas.  As 12 horas os cantores da juventude chegarão à nossa cidade pelo avião da VASP.  À tarde distribuirão autógrafos e fotografias aos seus admiradores, nas Casas Economicas, e à noite a aguardada apresentação que vem empolgando a jovem guarda mariliense. Os ingressos já podem ser adquiridos ao preço popular de Cr$ 30, nos escritórios da emissôra ou nas Casas Economicas.

Correio de Marília” faz campanha aberta a favor de Jânio Quadros, sempre publicando falas do “vassoureiro” em manchetes, e muitas fotos do magro candidato de óculos.  Na manchete de hoje diz em letras garrafais:  “Não creio em concessões demagógicas. Não creio nas mentiras das promessas.  Não creio nas vantagens do ilícito.  Creio no império da Constituição.” 

30 MARÇO 1960 – quarta – Anúncio:  Vá assistir hoje grande show  as 20 horas no Yara Clube, de Celly & Tony Campello, os ídolos da juventude sensação.

31 MARÇO 1960 – quinta – Absoluto sucesso de Tony e Celly Campello!  Durante o transcorrer do dia de ontem, a cidade esteve em festa.  Uma verdadeira multidão, em sua maior parte constituída de estudantes, recepcionou os dois ídolos da juventude, de uma forma nunca dantes vista em nossa cidade. Uma enorme fila de ônibus e automóveis, acompanhou-os pelas ruas da cidade, onde foram aplaudidos pela população. À noite, as amplas dependências do Yara Clube foram tomadas de assalto pelos fãs sequiosos de verem os dois cartazes.  As arquibancadas e cadeiras estiveram completamente lotadas, com o povo aplaudindo entusiasticamente Celly & Tony. Também o Tennis Clube esteve com seus salões tomados, onde se sucedeu mais um espetacular show.  Parabéns as Casas Econômicas e a Radio Dirceu, por essa belíssima promoção, e que continuem proporcionando espetáculos desse porte ao mariliense.



Celly & Tony Campello no Yara Clube de Marília - tendo ao fundo Marcelino Medeiros e o baterista Santucci. 

Celly, braços e pulserinhas (artigo escrito por Vera Cordeiro Manoel)


Acabara de completar 15 anos naquele início de 1960, quando soubemos que Celly Campello viria à Marília. Minha irmã e eu começamos pedir a nossos pais para ir ao show, e é claro que começamos pela nossa mãe. Já nos imaginávamos no show ao som de 'Banho de lua', 'Lacinhos cor-de-rosa' e 'Estúpido cupido'. Na realidade, Celly devia ter pouco mais que nossa idade e passava a ideia de menina boazinha, por isso meu pai permitiu que comprássemos os ingressos. Assim no dia 30 de março de 1960, lá estávamos nós no Yara Clube, na sede da Avenida Vicente Ferreira.

Fui imaginando dançar e cantar com ela, mas isso ficou só no pensamento, porque na quadra do ginásio de esportes estavam os lugares mais caros, bem em frente ao palco, eram cadeiras e mais cadeiras e nós, junto com amigas estávamos sentadas à esquerda do palco montado na quadra, ali na arquibancada de cimento. Assistíamos felizes, sentadinhas como convinha as boas moças de família e do Colégio Sagrado Coração de Jesus. Olhava extasiada aquela menina de vestido tão comportado quanto os nossos, saia até os joelhos, cantando: 'Hei hei é o fim, oooh cupido...'  Ela cantava dançando com os braços num vai e vem, virando os pulsos e estalando os dedos em movimentos que faziam brilhar as pulseirinhas douradas que usava e que dançavam com ela...

Essa é a memória que retive, ela não era ousada como um Elvis Presley, também podia não ser um Neil Sedaka, mas era nossa, era demais, embora apenas uma menina de cabelos curtos e voz meiga que cantava e encantava, a mim e a toda uma plateia muito bem comportada...

Vera Cordeiro Manoel, Novembro 2013. 


4 ABRIL 1960 – segunda – Aniversário da cidade de Marília. João Goulart, o Jango, Vice-Presidente da República visitou Marília.  Petebistas de Baurú vieram saudar Jango.

6 ABRIL 1960 – A cobertura do “Correio de Marília” a visita de Jango, o Vice Presidente da Republica é bem “morna”, dado que a cidade nunca teve uma visita tão ilustre.  A explicação está no fato do jornal estar fazendo a campanha do candidato da Direita, Jânio Quadros.  Mas mesmo assim ficou mal para o jornal, pois não cobriu devidamente um fato jornalístico da maior importância para esta cidade interiorana.

12 ABRIL 1960 – terça – Anuncia a vinda de Cauby Peixoto à Marilia, no dia 22 de Abril, no Yara Clube.  Mais uma promoção da chamada “Operação Dirceu 1960” levada à cabo pela emissora dos 1.320 kilocíclos, depois do grande sucesso da excursão de Tony & Celly Campello. Aparece foto-clichè do diretor-gerente da Radio Dirceu, José Miguel Netto.

13 ABRIL 1960 – Na primeira pagina a nota:  Tentativa de suicídio na madrugada de ontem. Antonia Beltrani, residente à Rua Corados, 481, tentou contra a própria vida, cortando o pulso do braço direito com uma gilete.  Internada no Hospital Marília, foi posta fora de perigo, esclarecendo mais tarde à Polícia, que tentou suicidar-se por ter sido abandonada pelo amásio.   -  A pergunta que se faz é:  Onde está a ética jornalistica?  Ou mesmo ética humana?  Como pode esse jornaléco publicar o fato, dar o nome da pessoa e o endereço de uma cidadã que passou por uma crise de saúde mental?  Por essa notícia, dá para se notar o nível moral e ético baixíssimo dessa empresa jornalística. 



Cauby Peixoto se apresentando no Yara Clube de Marília em 22 de Abril de 1960. Gino no acordeão, Rodolfo Sproesser na guitarra e Santucci na bateria. Marcelino Medeiros, de terno branco, era o MC. 


20 ABRIL 1960 – quarta – A zero hora do dia 21 de Abril de 1960, os sinos de todas igreijas de Marília repicarão, saudando Brasília, a nova Capital do Brasil.  Na mesma edição:  Chessman pede clemência à Suprema Corte Norte-americana que julgará seu último recurso contra sua execução em câmara de gas.

27 ABRIL 1960 – quarta – Chessman é inocente e agora temos prova.  Mais uma vez tentam achar um outro homem que teria sido o “bandido da luz vermelha”, que violentou uma mulher na California.  O Brasil, como o mundo, se envolvem na luta de Caryl Chessman pela sua vida,  contra o Estado executor Norte-americano.

15 MAIO 1960 – domingo – Show no Cine Marília:  Black-Out e Anísio Silva, o “cantor da alma triste”. A Radio Dirceu mais uma vez inova e traz o grande cantor romântico Anísio Silva, e como autentica surpresa, eis que foi anunciado em ultima hora, e o publico que lotou o Cine Marialia, teve a oportunidade de aplaudir o apreciado cantor “colored” Black-Out.  A renda o show foi destinada à A.A. São Bento.

18 MAIO 1960 – quarta – Maysa, a maior cantora do Brasil, aparece na 1a. página em clichè em anúncio de sua visita à cidade em 28 de Maio.  Esteve em Marília o Consul Geral Japonês, Sr. Takashi Ishii.

21 MAIO 1960 – sábado – O cantor Albertinho Fortuna no auditório da Radio Dirceu, e mais tarde apresentação no Restaurante Marília, no 9o. andar do maior edifício da cidade.

28 MAIO 1960 – sábado – Maysa fez sucesso!  Maysa cantou no ginásio do Yara Clube as 20,30, com o patrocínio das Lojas Mesbla.  Mais tarde houve apresentação no Restaurante Marília, cuja renda foi destinada às formandas do Instituto de Educação.  Foi uma apresentação da Radio Clube de Marília, que vinha perdendo terreno e prestígio à Radio Dirceu ultimamente. A Radio Clube de Marília foi fundada em 1934, o que a faz ter 26 anos no ar, sendo o Professor Octávio Lignelli seu diretor-gerente.

9 JUNHO 1960 – quinta – Luis Bordon, o grande tocador de harpa paraguaio, hoje em Marília.  Apresentação às 20:30 no Salão Nobre do Colégio Sagrado Coração de Jesus e as 23:00 no Restaurante Marília;  promoção da Radio Clube.

15 JUNHO 1960 – Salvador Scarpetti completa hoje 102 anos – Foto na 1a. pagina – Arcado sob o peso dos anos, contudo é lúcido, é prosador, sabe rememorar os tempos idos;  como poucos conta a história de Marília. Salvatore Scarpetti, um dos primeiros que pisaram o solo mariliense, quando uma pequena clareira foi aberta no sertão e algumas choças serviram de abrigo aos pioneiros.

21 JUNHO 1960 – terça – Apresentação de Tony & Celly Campello diretamente da cidade de Garça, em transmissão pela Radio Dirceu – Continua o ritmo espetacular das atrações da Operação Dirceu 1960 – a partir das 21 horas, numa política de boa vizinhança, em pról do intercambio municipal e numa homenagem da Cervejaria Bavaria S/A ao povo e as autoridades daquela cidade.

25 JUNHO 1960 – sábado – Agostinho dos Santos no ginásio do Yara Clube – Apresenta-se o inimitável cantor “colored” da “voz derrapante”, conhecido por “Meu benzinho”, na “Noite da Saudade”, organizada pelos estudantes em favor da campanha “Por uma juventude melhor”.  Promoção: Radio Clube.

29 JUNHO 1960 – quarta – Dia de São Pedro, apresenta-se a famosíssima Dupla Ouro & Prata no auditório da Radio Dirceu, às 20:30.  Autores dos sucessos:  “Banda da banda de lá”, “Ô diacho”, “Marcha do tintureiro”, “Vamo ganhá gabiróba” e “O leilão”.

2 JULHO 1960 – sábado – Marlene canta hoje no Yara Clube, as 20:30.  Chega de avião da VASP. Promoção da Radio Clube de Marília.

9 JULHO 1960 – sábado – Franquito, o menino cantor da voz de ouro, de 11 anos, émulo de Pablito Calvo e Joselito, apresenta-se no teatro do Colégio Sagrado Coração de Jesus, às 20 horas, dando continuidade à Operação Dirceu 1960.  No outro lado da cidade, sendo patrocinado por outra estação, a Radio Clube,  apresenta-se Ivon Curi, as 20:30, no Yara Clube, e as 24 horas no Tenis Clube [Avenida].

23 JULHO 1960 – sábado – Juca Chaves, o Bossa Nova – apresenta-se no  Educandário Bezerra de Menezes as 20:30, e no E.C. Mariliense as 24 horas num show-baile. Patrocínio da Radio Clube.

5 AGOSTO 1960 – sexta – Esboçado programa par o I Festival de Cinema de Marília, por membros do Clube de Cinema e do Lions Clube de Marília, para os dias 9, 10 e 11 de Setembro de 1960.  Aportarão os artistas na estação ferroviária as 17:05, em um vagão especial da Cia. Paulista de Estrada de Ferro.

6 AGOSTO 1960 – sábado – Faleceu Monsenhor Luiz Octavio Bicudo de Almeida, em Munique, Alemanha, dia 4 de Agosto, de um ataque cardíaco fulminante enquanto preparava-se para celebrar missa matinal. Monsenhor Bicudo encontrava-se em Munique desde 31 de Julho, representando Marília no XXXVII Congresso Eucarístico Internacional.

26 AGOSTO 1960 – sexta – Lott dirige-se ao povo de Marília esta noite. Candidato presidencial da centro-esquerda, Marechal Henrique Teixeira Lott discursa em palanque:  “Os que acham que o Brasil é um país essencialmente agrícola, que o Brasil deve ser varrido, que façam na cédula a cruz da saudade.” [referindo-se a vassoura do Jânio Quadros].  Concitou à atividade sindical, cooperativas de consumo entrosadas com a produção, necessidade da mecanização da agricultura, etc.

27 AGOSTO 1960 – sábado – Laila Cury – a maior sensação da televisão paulista em dois grandes shows. As 20:30 no Colégio Sagrado Coração de Jesus, em benefício da formatura da 4a. serie ginasial noturna do Ginásio São Bento;  as 23 horas no Clube Sírio Libanês, patrocínio exclusivo de Chácaras Jussara;  promoção da Radio Clube.  No Cine Marília as 19 e 21 horas:  “Salomé”, com Rita Hayward e Stewart Granger. Diretor do Cine Marília:  sr. José Miguel Netto.

28 AGOSTO 1960 – domingo – Linha de onibus entre Marília e São Paulo aguardando regulamentação. A grande interessada é a Viação Reunidas Brasileiras, pois até então a única maneira de se chegar até São Paulo é através da Cia Paulista de Estrada de Ferro ou pelos aviões da Vasp.

Atual prefeito de Marília:  Octávio Barreto Prado, vulgo Tatá.

Thursday, 17 November 2011

TUPÃ-SP in 'Carioca' magazine - 1946

Tupã's main drag in 1946. See the mango trees on main street.
same corner 8 years earlier... 1938.
Tupã-SP in 1946 as shown in 'Carioca' in the 4 January 1947 issue. Doesn't it look like a scene from 'Casablanca'?
Tupã and its typical 'praça' in 1946.
Tupã's top social club in 1946 with its Art Deco look.
it looks like the social club administration building...

a Tupã main street in the mid-1950s either in early morning (before shops opened) or late afternoon when the shops have already closed for the day.
Praça da Bandeira in Tupã. It looks like a 1960s photo. 

places further away from Tupã... up to the frontier with Mato Grosso.

Thursday, 29 September 2011

Paulo Roberto Camargo in the 1950s (second cousin)

Paulo Roberto (my second cousin) being held by his aunt Beatriz (my cousin).

young Paulo Roberto having a field day at his great-grand-father's on Rua Campos Salles  in 1955.
 Praça da Catedral de São Bendo em Marília-SP.
same day with auntie Beatriz. 
Paulo Roberto, his sister Mariângela and aunt Beatriz Scarpetti.



Paulo Roberto & Mariângela at Rua Campos Salles back-yard.
Geraldo Camargo (looking down at a cup while the waiter pours some coffee) at a function given by Vigorelli Sewing Machine in which he was an employee; 5 October 1957.
Geraldo Camargo. 
 Paulo Roberto na gangorra - Parque Infantil Monteiro Lobato, Marília-SP.
Paulo Roberto Camargo aparece no 'Correio Marilense' de 3 Maio 2012, ao lado de sua mãe Betty Scarpetti Camargo e irmã Mariângela Camargo, por ocasião de seu 60o. aniversario.